YayBlogger.com
BLOGGER TEMPLATES

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Liliana Crociati de Szaszak (1944-1970)

Hoje o post é meio mórbido, meio estranho, mas é que essa história toda me impressionou.
Lá estava eu em Buenos Aires com minhas amigas e decidimos ir ver o túmulo da Evita Peron lá no Cemitério da Recoleta, nada demais. Tiramos fotos e tudo.. mas o dela nem era nada demais mesmo. Continuamos andando até que eu vi esse:


Tão grande, tão bonito, tão encantador, sei lá, intrigante.. quem seria Liliana? Por quem fizeram um túmulo tão bonito pra ela?
E eu descobri que ela era simplesmente uma filha muito amada que morreu na sua lua-de-mel na Austria com 26 anos por causa de uma avalanche. Seus pais não aguentaram a dor e de algum jeito tentaram homenagear a filha fazendo sua estátua usando seu vestido de casamento e com seu companheiro, Sabo, ao seu lado.
Embaixo dá pra ver uma placa, e nela tem um poeminha feito pelo pai de Liliana:

A Mia Figlia

Solo mi chiedo il perche
Tu se partita e distrutto hai lasciato il mio cudre
Che te solamente voleve, perche?
Perche? Solo il destino sa il perche e mi domando perche?

Perche non duo stare senza te perche?
Tanto bella eriche la natura invidiosa ti distrusse, perche?
Perche solo mi domando ce dio ce con si porta via cio che suo nome
Perche si distrugge e lascia al l'infinito il dolore!

Perche? Credo al destino e non a te. Perche?
Perche solo so che sempre sogno con te perche c'e de che?
Per tutto l'amore che sente il mio cuore per te.
Perche? Perche?

It tuo papá
Eu sei que está em italiano e tudo mais.. mas dá pra entender mais ou menos. Basicamente, é um desabafo do pai, revoltado/triste e se questionando por que isso teve que acontecer logo com ela. Onde está Deus? Se ele existe porque nos deixou nessa eternidade de sofrimento? Por que a natureza fez isso? É porque você era bela demais?..
Por mais que seja uma história triste, com muita dor.. eu acho muito bonita. Acho bonito o amor dos pais, acho bonita a homenagem que eles fizeram, acho bonito fazerem uma estátua de uma pessoa comum (muitas vezes são essas as pessoas que merecem estátuas e não as ganham).. acho bonito tudo! e acho bonito também a lealdade do gato. Sim, se olharem direitinho tem um gato deitado ali do lado do cachorro.. eu tinha achado muito estranho esse gato ai.. ele mal se mexia nem nada, não saia do lado dela de jeito nenhum, e quando fui pesquisar sobre ela em todas as fotos tem esse gato do lado. Em um blog eu achei uma explicação meio estranha de que seria a reencarnação do Sabo, mas ninguém tem como saber de verdade.

Sei lá, só achei uma história curiosa/legal :)

18 comentários:

  1. Má, parece até história de livro! Me lembrou um pouco A Sombra do Vento, não tem muito a ver, mas é pq no livro o menino descobre um livro e ai vai investigar sobre a vida do autor, e vc foi investigar sobre ela! Achei massa a história!! Beeijo!

    ResponderExcluir
  2. Eu acabo de chegar de Buenos Aires e o gato ainda tá lá... no mesmo lugar. avelino.marcilio@gmail.com

    ResponderExcluir
  3. Engraçado como algumas histórias atiçam a curiosidade da gente, né? Tb estive em BsAs na última semana e essa estátua me chamou muito a atenção. Por isso, pesquisei na net sobre a Liliana...

    No dia que eu fui, o gato não estava lá. Mas tinham vários por todo o cemitério. E todos são grandes, gordos e mesclados... Nunca interagem com ninguém...

    O poema do pai é emocionante. Vale a visita!

    ResponderExcluir
  4. Ei galera o seguintwe fui dia 7/12 e o gato sinistro estava la! huahuahua

    ResponderExcluir
  5. Boa noite Maira,

    Semelhantemente à você, também estava visitando o cemitério da Recolleta para ver o túmulo de Evita e deparamos com o Mausoleu da Liliana Crociati.

    Me envie o seu email que lhe mando várias fotos do "gatinho gordo" que continuava naquele lugar e gostava de ser acariciado.

    Abraços,

    Ricardo.

    ricardofcar@uol.com.br

    ResponderExcluir
  6. Passei o reveillon 2011 em Buenos Aires e estive neste cemitério. Conheci este túmulo tirei algumas fotos. Achei um pouco curioso um gato próximo dali, mexi nele e tirei uma foto dele. Procurando algumas informações sobre esta moça encontro esta história e o gato continua no mesmo lugar. Assustador tudo isso!

    ResponderExcluir
  7. Adorei a sua pesquisa, pois acredito que todos que se deparam com a estatua na cemitério da Recoleta ficam curiosos.
    Eu tirei uma foto tbem e encontrei seu blog exatamente quando pesquisava quem seria Liliana Crociati de Szaszak.
    Acredito que o pai dela não imaginava o efeito que surtiria sobre as pessoas tão grandiosa homenagem!

    ResponderExcluir
  8. Estive neste cemitério em abril/2001 e vi a estatua de Liliane Criciati. Fiquei curioso naquele momento, pois não se tratava de uma estátua comum ao lugar... ela foge aos padrões. Hoje, revendo as fotos que tirei na minha passagem pela Argentina, revi a foto e, como todo mundo por aqui, resolvi procurar no google, que terminou me trazendo a este blog. Bom, quando fui, nem havia notado gato algum. Depois de ler esta história fui ver a foto de novo e... pasmem! O gato estava lá, num cantinho, dormindo! Não sei dizer se era o mesmo gato ou não (tenho sérias dúvidas), mas que tinha um gato lá, iso tinha!

    ResponderExcluir
  9. Apenas corrigindo a data de minha visita ao cemitério: foi em abril/2011 em vez de abril/2001. Na pressa, digitei errado.

    ResponderExcluir
  10. Eu tambem me impressionei com ela, tenho uma filha parecida com ela, tirei fotos para levar para ela ver de tão parecidas que achei e qual foi a minha surpresa ao ver o nome da moça...Liliana nome igual ao de minha filha!!!

    ResponderExcluir
  11. Maira,
    Estive no cemitério de La Recolleta para fazer o passeio clássico de Buenos Aires. Um dos primeiros túmulos que vi foi o da Liliana. Fiquei impressionada com a escultura, porque parecia a representação assombrosa de um fantasma. Quando abaixei-me para ler algo sobre a moça deparei-me com o poema do pai. Não falo italiano, mas consegui entender o poema e cai em prantos. Fiquei muito, muito impressionada e assim que voltei ao hotel vim procurar na internet e encontrei seu blog. Constatei, então, que ela realmente impressiona, que realmente assombra as pessoas que vão ao seu túmulo. A dor do pai está impregnado em cada pedra. Não gostei do cemitério. Daí em diante, achei tudo mórbido e opressor. Quanto aos gatos, encontrei vários. De fato, todos estavam nas proximidades do túmulo.

    ResponderExcluir
  12. Me assusta muito saber que o cãozinho, Sabu, morreu no mesmo dia, a quilômetros de distância... Além disso, dizem que o gato tigrado que não sai de perto do túmulo é o Sabu reencarnado. Sinistro!

    ResponderExcluir
  13. Anna, será que você não se enganou? O cão de Liliana, Sabú, segundo várias fontes, só morreu tempos depois, e em nenhum lugar, pelo menos entre os que eu vi (foram muitos) se diz que ele morreu no mesmo dia. Abraço.

    ResponderExcluir
  14. Pois Maíra, tu sabe que cheguei hoje de Buenos Aires e descobri este túmulo da mesma forma que tu, voltando da visita ao mausoleu da família Duarte (onde está Eva Perón). Ao ver esta estátua fiquei fascinado, apesar de ter achado algo sobrenatural no olhar da estátua, quase beirando o tétrico... Pesquisando sobre a personagem descobri a história por trás dela e fiquei tocado ao saber que o cão teria morrido no mesmo dia...

    Abraço.

    ResponderExcluir
  15. Demais, fui nesta semana e visitei o cemitério, e de todas que são também incríveis, essa foi mais marcante...

    Incrível, e o gato saiu na minha foto tbm!
    Muito curioso

    ResponderExcluir
  16. Voltei de la agora, vi o tumulo e os gatos, adorei a história dela, mas, os gatos não me impressionaram porque normalmente gostam de cemitérios. Não querendo ser muito cética sabem porque gostam de cemitério? Porque há muitas baratas!!

    ResponderExcluir
  17. Lorena Bernardes Nascimento20 de maio de 2014 19:39

    Nossa... acabei de chegar do Cemitério da Recoleta.. e passei no túmulo da Liliana, e acreditem, tinha um gato lá também... Meu Deus!!! Incrível... muito curioso!

    ResponderExcluir